Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

O desafio

Dei por mim a trabalhar e a pensar nisto:

"Porra eu gosto disto. Eu gosto deste trabalho!"

Fica a dúvida: se gostas disso porque carga de água andas insatisfeita com o trabalho?

Porque quero mais.  Quero trabalhar para mim. Sinto-me limitada, fazendo as coisas "porque me mandam". 

Faltam desafios (e o desafio de manter um trabalho ou de ter trabalho, não conta!).

Eu sei que o importante é lutar pelos objectivos! 

Coisas que me chateiam

Sobre os livros para meninos e meninas que a Porto Editora editou...

É uma conversa interessante e que tanta tinta já fez correr (e promete fazer mais, pois parece que já tem mais livros desse tipo á venda!). Li pouco sobre o assunto, mas mesmo assim li alguns comentários em noticias e postes do facebook de gente muito revoltada com a descriminação e principalmente com a falta de sensibilidade desta empresa para as questões de igualdade de género. 

Eu sei que a minha opinião vale o que vale, mas aviso que não estou a fazer de advogada do diabo (na verdade pertenço aqueles que não concorda com o feito)...

Devemos, antes de mais lembrar que se trata de uma empresa e que o principal objectivo das empresas é o lucro (penso que não é novidade para ninguém); se esses livros se vendem, é obvio que a empresa não vai retira-los do mercado (o governo não pode mandar tirar, estamos numa democracia livre!).

Ponto dois: se a empresa os pós no mercado é porque sabe que há gente que os compra, ou seja, ha gente (e não é tão pouca assim) que educa as meninas de forma diferente dos meninos!

Outro ponto: não usem a desculpa da respondabilidade social, não argumentem que se trata de uma empresa vocacionada para a educação e que tem a responsabilidade de contribuir para a mudança das mentalidades, para a igualdade, etc,etc,etc... Um exemplo: A Mc D...... também é uma empresa maioritariamente frequentada por jovens, e adolescentes e nem por isso deixa de vender comida cheia de gordura, sal e açucares... (ah, mas não estamos a falar do mesmo... sim estamos: estamos a falar da responsabilidade social das empresas para uma sociedade melhor)

Por ultimo, mas na minha opinião o mais importante: a Porto Editora criou livros para meninos e meninas, mas não obrigou ninguém a comprar os livros de menimos para meninos e de meninas para meninas. 

Pais, avós porque não oferecem o livro das meninas aos vossos netos? E aproveitem para os acompanharem enquanto eles desempenham as tarefas lá indicadas. Façam o mesmo em relação aos livros dos meninos com as meninas. 

A educcação para a igualdade de géneros passa também por aí. Ensinar ás crianças a brincar com tudo, a fazer de tudo. As meninas também gostam de carros de corrida e os meninos também gostam de carrinhos de nenuco. 

Somos nós que temos de ensinar às nossas crianças a importancia da igualdade entre generos e temos de o fazer desde sempre, desde o inicio da sua existência (é bem mais facil logo desde o inicio do que quando tem 10 anos. Nessa altura, ja passaram a vida a brincar com determinado brinquedo e a serem proibidos de brincar com outros, vai ser mais dificil assimilarem que tem direito ás mesmas oportunidades e a desempenhar as mesmas funções.). 

E somos Nós, não as empresas que fazem livros infantis, não a escola, não os outros. Nós é que devemos ser responsaveis pelo que é nosso.

O que já sabe fazer

Estávamos na cozinha. Era a hora de ir dormir. 

O pequeno agarrou numa das bainhas dos calções e puxou-me para o quarto: "Ma anda, anda... Pa té já! Anda Ma!" 

Quando chegamos ao quarto levantou os pés e disse: "Tira papo!"

Tirei-lhe os sapatos. Depois apontou para os meus pés e disse:" Ma tira papo" 

Obedeci. Ele puxou a caixa que eu tenho debaixo da cama e subiu para a cama: "Ma upa, uupa!"

Subi. Sentei-m ao pé dele e perguntei: "queres nanar? "

Resposta  (com ar muito sério): "nah. Quê  oh oh!" 

Apontou para o candeeiro e disse: "Ma fecha! 

Não percebi, ele repetiu e eu continuei sem perceber o que queria fechado.

Ele resolveu o problema: passou por cima de mim e desligou o candeeiro. 

Abraçou-me e disse : "Ma, oh oh oh!" 

Aí 😍

 

Alzheimer

Já pensei escrever sobre isto várias vezes. Acabei sempre por desistir. Não gosto de falar sobre isto!

No entanto, é o tema do momento. Depois de ler um post num blogue sobre a demência, decidi partilhar a minha opinião. 

As palavras que me marcaram no blogue foram estas: a minha avó tem demência, mas ainda se lembra de nós. Nem quero imaginar se fosse alzheimer e ela não soubesse quem somos! (Não trancrevi)

A minha Ana tinha alzheimer. Foi duro. Nem sempre lidei bem com isso. 

Na altura estava a entrar na adolescência e não queria acreditar que essa doença não tem cura, que aquela pessoa nunca mais se iria lembrar de mim. Também não sabia como é cuidar de alguém, que na verdade devia estar a cuidar de nós. 

Piorou pois tivemos de a tirar da casa dela e ela não sabia quem éramos. Para ela éramos os monstros que a afastamos dos filhos  (já bem crescidos) e do marido  (que se recusou a acompanha-la). 

Passamos vários meses com medo que ela nos fugisse. Com visitas frequentes dos vizinhos, pois ela tinha dias de gritar 24 horas seguidas  (e os vizinhos achavam que a tratavamos mal). Dormia-mos mal, comíamos mal... Foi difícil  (mas para ela talvez tenha sido mais)

Depois caiu, deu-lhe um AVC e repetiu logo a seguir. Uma grande percentagem de pessoas morre quando isso acontece, mas ela era uma mulher dura! 

Deixou de andar e a partir dali foi ver a sua degradação, até ficar num estado quase vegetativo... 

Durante este tempo era uma alegria tão grande quando ela chamava uma de nós pelo nome! 

Foram 10 anos. Os últimos 3 anos não falava. Os últimos 3 dias não comeu. 

A minha mãe optou por não a internar. Mas foi muito desgastante e doloroso para ela. 

Não há apoios suficientes para quem tem a sua responsabilidade alguém demente. 

Eu sou capaz de pedir, às entidades competentes, apoio psicológico para as pessoas que têm doentes a seu cargo. (e se não for pedir muito) Que esse apoio esteja disponível nas unidades de saúde locais e de preferência com um profissional que esteja presente mais que um dia por mês!

Eu costumo dizer que o alzheimer é pior que um cancro. E já explico: não tem cura, corrói a mente e o corpo, na maioria das vezes, muito lentamente. O cancro tem aquela esperança de ter cura...

Quem tem alzheimer não tem esperança!

 

Uma das minhas melhores amiga é lésbica

Sim, a minha melhor amiga, mais antiga, é lésbica. 

Não estou a fazer publicidade (pode parecer, mas não é!). 

Quem realmente a conhece sabe e ela já passou a fase de tentar disfarcar. Felizmente, está na fase do: " desde que esteja feliz o resto é resto!" 

Lembrei-me dela, como me lembro de outras pessoas que eu estou grata por ter, ou por ter tido, na minha vida. 

Esta amiga é a pessoa que melhor me conhece. Que sabe bem que eu sou daquelas pessoas que "quando se mexe , consegue", mas faz falta sempre um grande empurrão para me fazer mexer 

Quando faleceu "a minha menina ", ela foi a única pessoa que me disse o que eu precisava ouvir, foi a única que não me acusou de ignorância, egoísmo... Foi a única pessoa que compreendeu que eu tinha acabado de perder uma pessoa muito especial, tinha perdido por isso  precisava de fazer o luto e de alguém para me apoiar!

Sempre estimei muito a sua amizade. A única vez que realmente fiquei muito triste com ela, foi quando EU  descobri que ela tinha uma namorada (sim porque eu também a conhecia tão bem) e lhe perguntei, ela não só o negou como inventou uma mentira que não fazia nenhum sentido. 

Eu não só sabia a verdade, como sabia já a tempo suficiente para, naquele dia, aceitar a sua confirmação com naturalidade. 

Foram duas semanas estranhas. Eu não sabia o que fazer, mas depois lembrei me que ela não ia deixar de ser a pessoa fantástica que é. Eu só tinha  2 opções: ou aceitava, algo que não me iria prejudicar, ou perdia a amizade dela. Obviamente fiz a escolha mais inteligente. 

Mais tarde quando ela se assumiu eu até brinquei com isso. Mas quando amigos em comum questionaram a minha atitude eu não fui meiga. Para mim, toda e qualquer forma de amor é algo natural, antinatura é tanta coisa, mas não isto! 

Esta amiga, que vive em Portugal, mas a uns 600 a 700 km de mim, envia -me mensagens de motivação pessoal no dia do Seu aniversário 😊.  No entanto, vejo-a menos vezes, do que vejo outra amiga que vive no Canadá.

Eu tenho uma amiga que é das pessoas mais maravilhosas que eu conheço!

 

Salvador Sobral

Eu também quero opinar sobre o assunto. 

Também tenho algo a dizer!

Quer dizer, sobre o Salvador até não tenho nada a dizer; mas sobre os pseudo-jornalistas... 

É impressionante o que hoje se faz para vender informação. Sim informação, a grande maioria das coisas publicadas não são noticias, são informação. 

Mas, tal como alguém defendeu num artigo de opinião, especular sobre o tempo de vida de alguém é fora do socialmente aceitável. É horroroso!

Eu sei, por experiência,que a ciência também falha. E principalmente, sei que o amor é o mais eficiente suporte de vida (principalmente quando a ciência não pode fazer mais nada). 

Também sei que o melhor é, os senhores jornalistas que inventaram uma validade para o Salvador, não morderem a língua, pois correm o risco de morrerem envenenados! 

Em relação ao Salvador, não o conheço, mas é alguém cheio de força! Afinal, nada, nenhuma limitação o impediu de alcançar os seus objectivos e de chegar onde poucos chegaram. 

Querem falar do Salvador? Querem falar de outras pessoas com limitações? Falem! Mas em primeiro lembrem-se que ele  (e outros como ele) não ficaram em casa só porque tinham uma dor de cabeça! Antes de falar pensem de quantas coisas desistiram por ser difícil?

Ele continua a lutar... Ele continua!

Pedido de criança

Fomos visitar o bebé de um ex colega de trabalho.

Um bebé super fofinho (e as saudades que me deram de um bebé assim!) 

O J.M. ficou super entusiasmado com o pequeno. Queria brincar com ele, mexer-lhe, tira-lo do carrinho... 

Quando viemos embora ele quis trazer o pequeno. E quando chegamos a casa a primeira coisa que disse ao pai foi:" Pa eu quê um bebé!"

A gente brincou com isso e pensamos que ele se esquecia depressa...

Já passaram vários dias e ele continua:" Eu quê um bebé!" 

Aí!!!!!!! 😯😧😒😄

O tio João é mil vezes mais fixe que o pai natal

Engraçado o título... Parece o desabafo de uma criança de 6 anos. 

Na verdade é o desabafo de uma criança, com 31 anos, mas que já teve 6.

O tio João é o meu tio que sempre o foi. 

Foi o tio que nos levou à praia a primeira vez. Foi o tio que nos deu a única bicicleta que tivemos, as bonecas que falavam e andavam, o primeiro peluche (aquele com que dormia-mos!), deu -nos o rádio para cassetes e a mochila da escola primária  (só tivemos uma que deu para os 4 anos e que ainda está em muito bom estado!),dava-nos balões nas festas do concelho!

 

O tio João nunca ia embora sem nos perguntar:" que quereis para o próximo ano?" E sempre trouxe o que lhe pedimos. 

O tio João... adoeceu e admirou -se com a nossa preocupação.  

Como se ele não o merecesse! 

21 meses

A contagem continua.

O tempo passa tão depressa. 

É tão depressa que estás a crescer, a aprender...

Caminhas para a autonomia. Eu tenho medo. Parece que não tenho tempo para me habituar ao teu crescimento  (é tudo muito rápido!). Mas quero que cresças e sejas um bom humano. Eu prometo tudo fazer para ter tempo para ver o teu crescimento! 

Obrigadomeu amor, por me fazeres crescer, por tornares a minha vida tão especial! 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D