Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

9 meses

Já passaram 9 meses.

Uma vida para ti! 

Uma nova vida para nós!

9 meses e não gatinhas, não falas, não mastigas... (Mas para morder na mãe  (quando está a mamar ) ja pode usar os 2 dentes e meio!

9 meses de mais um grande amor!

Não se agrada a todos

A polémica colecção sem genero da Zippy

A zippy criou uma colecção sem género. 

Uma coisa tão simples como meninos e meninas vestirem a mesma roupa  (e quem defende que não é simples, não tem irmãos /irmãs mais velhas nem nunca usou as suas roupas!

Para mim é uma coisa normal. O meu filho veste roupa da prima  (excluindo saias e vestidos  (mas não há essas peças na colecção em causa))! Eu vesti roupa dos meus primos, a minha sobrinha vestiu roupa dos primos dos pais... 

Quase de certeza que a minha mãe vai comprar alguma peça dessa colecção para vestir os 3 netos de igual... 

Não sei o porquê de tanto ruído. É roupa. É gira e é só para quem a quiser comprar!

Eu compreendo que a escolha das cores que representam a colecção não foi muito feliz. Eu não tenho nada contra, muito pelo contrário, eu adoro cor e gosto de ver tudo colorido! Mas compreendo que os homofóbicos se arrepiem um pouco. Mesmo que não sejam as mesmas cores são idênticas às defendidas pelos LGBT. 

Ah, mas o que eu gosto mesmo é de comentários do género: "Deus fez homem e mulher". Pois, segundo os "livros sagrados", Deus fez o homem e a mulher nus, para poderem vestir o que quisessem! 😇

Com filhos 27

Cantarolando:

"A minha mãe é grande... e gorda!

A minha mãe é grande... e gorda!"

Parece-me que o ouvi desafinar! (Não sei se gosto das cantorias dele) 😈😠

Entrevista de trabalho 3

Ora deixa cá ver se eu entendi: 

Disse-me que vou trabalhar das 8 ás 20 com uma hora e meia para almoçar, mais 5 horas ao sabado. Certo?

Disse-me que vou receber aproximadamente de 3.60€ por hora. Certo?

Aconcelhou-me a ter alguém com quem deixar os meus filhos, que tenha capacidade para os levar ao médico sempre que necessário, estarem pendentes deles sempre que necessário, ir á escola sempre que necessário (e aqui inclui-se as reuniões de escola) (ou seja, não me é permitido faltar por causa dos meus filhos). (frisou que fez o mesmo com os seus filhos que ficaram SEMPRE ao cuidado dos avós e que correu tudo muito bem!) Certo?

Vamos lá então resumir isto:

-»Eu vou trabalhar aproximadamente 57 horas por semana, tendo somente um dia de folga;

-»Para ter este trabalho, tenho que abdicar dos meus filhos;

-»Aquilo que eu recebo pelas minhas funções equivale ao salário mínimo.

É para começar quando, mesmo?

 

(P.S.: Acredito nos sacrifícios que esta pessoa fez pelo seu negócio. Acredito que a ausencia dos filhos não tenha sido fácil... Não concordo que imponha os mesmos sacrifícios aos funcinários!)

 

 

Roupa de mãe

Sabem, eu vivo num meio pequeno, onde as pessoas ainda se vestem consoante a idade. 

Sempre abominei essas ideias. Bem perto dos 30 ainda vestia "roupas de adolescente", e adorava ouvir o: "tu já não tens idade para vestir isso!"

Depois de ser mãe pela primeira vez  (e porque ao fim de 6 meses já estava mais magra que antes de engravidar) voltei a vestir as mesmas roupas: vestidos , saias e calções muito curtos, camisolas com grandes decotes; roupas extra justas. E como eu me sentia bem assim.

O problema?  Apareceu quando o rebento começou a andar... É fácil adivinhar o jeito que dá correr numa saia "travada" ou baixar com uma saia / vestido curto!

 

Olho para o meu guarda fatos e pergunto-me quando vou voltar a vestir algumas daquelas peças... Vale a pena guardar? 

😢 que saudades de vestir uma mini saia! 😧😭

 

8 de Março

Dia da mulher!

Dia de luta. LUTA, não luto!

Luta pela igualdade. Pela igualdade nos direitos, na formação, na liberdade, na profissão...

Pela igualdade no respeito.

E, inevitavelmente, neste dia lembrar as vítimas de violência. Violência doméstica, discriminação laboral, violência psicológica , violência sexual...

Num mundo em que há políticos  (que pretendem representar o povo) a aceitar a discriminação, a justificar a violência... Num mundo onde há juízes que justificam, desvalorizam as agressões e desculpabilizam os agressores... Num mundo onde ainda há mulheres que defendem a sociedade machista... 

Num mundo assim, este dia, justifica-se cada vez mais. E devia ser o contrário. Devíamos caminhar para uma sociedade mais justa, com menos desigualdades...

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D