Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Quinta à noite

"Mereces todas as coisas boas que a vida tem guardado apra ti!" - Para lembrar

Quinta à noite

"Mereces todas as coisas boas que a vida tem guardado apra ti!" - Para lembrar

na ordem do dia

Parece que as pessoas reduziram  o acompanhamento das guerras. Há um novo assunto no momento!

Um estalo! E nunca vi um estalo fazer tanto barulho...

Um ato de violência que nos anda a fazer pensar nos limites... Os limites do humor, os limites da paciência, os limites da violência, os limites da tolerância, os limites das audiências...

Não vejo inocentes, não vejo um agressor e um agredido. Vejo dois agressores. Vejo duas pessoas que passaram os limites. 

Era humor! Era. Mas ninguém tem o direito de brincar com a vida dos outros. Uma coisa é falar com a pessoa e dizer: "vamos rir disso?" (como, aliás fazem alguns humoristas) outra é brincar com uma situação alheia sem saber o quanto a outra pessoa está afetada pela situação. 

Pessoalmente acho que a "comparação" não era ofensiva. Mas não sou eu que não tenho cabelo porque estou doente! 

Levou um estalo! è correto? não! Mas o que ele fez também não é! chama-se respeito. É aquela coisa de: "a tua liberdade acaba quando começa a minha e vice-versa!".

Rir faz bem, é bom, mas uma brincadeira só é uma brincadeira qundo é divertida para ambas as partes, caso contrário é bulling! #naovaletudo

(é só a minha opinião!)

Quando eras poeta

Houve um tempo em que eras poeta!
Tinhas um dom.
Um super poder nas pontas dos dedos
Que desenhavam o som
Dos sentimentos!

Houve um tempo em que eras poeta!
De palavras sinceras,
De feridas abertas,
De um coração sobrelotado
Por pensamentos tresloucados!

Houve um tempo em que eras feliz,
Repousando as angustias no branco,
Enquanto vivias em lume brando,
Os incendios que te queimavam no interior,
Os medos que te fizeram estar maior!

Houve um tempo em que eras poeta,
Tinhas asas sem penas,
Da largura certa,
Para enfrentar as tempestades menos amenas

Houve um tempo que eras poeta!
Quando no papel encontravas alívio,
Para esse sofrimento vazio.

Houve um tempo...

 

Neste xadrez morre gente

Há um mês que muito se ouve falar das estratégias geopoliticas, de "peças chaves" num "xadrez politico-militar".
Claro que quando estamos confortavelmente sentados nas nossas cadeiras e as guerras nos entram somente pela televisão, temos muito tempo para jogar xadrez e até jogar ás cartas...

Mas, enquanto as cadeiras de uns se deformam com o peso dos seus corpos, morrem pessoas todos os dias. São vitimas da loucura do poder de uns e da pacatez de outros. 

Lembro a frase de alguém (não recordo o autor): "O pior virus que existe é o ser humano!"

HIPOCRISIAS

A terrível hipocrisia da resposta do Ocidente aos refugiados (opinião) CNN

Li este artigo de opinião e só tenho pena de não saber quem o escreveu. Para lhe dizer que eu quero ajudar esses refugiados. O que posso fazer?

E mais dois pontos sobre a nossa hipocrisia:

ponto 1- No dia de ontem cansei-me de ver, ler e ouvir um "feliz dia para as mulheres em especial para as Ucranianas que estão a passar por algo indiscritivelmente mau." 

E agora pergunto eu: e as mulheres afegãs? e as mulheres sírias? e as paquistanesas? e as venezuelanas? e as monçambicanas? (confrima-se né, dói muito mais cá do que lá!)

ponto2: -"estamos a fazer de tudo para ajudar a Ucrania sem despertar uma 3ª guerra mundial!" Mesmo? expeliquem-me qual é o continente que não está em guerra? digam-me quem é que não anda com medo de acordar com uma bomba atómica no quintal?

 

 

Idiotices

Depois de uma reportagem sobre as armas usadas na guerra fiquei com a dúvida: as armas são para matar gente ou dinossauros? Alguém avise os produtores de armas que a gente morre com pouco: a fome por exemplo...

Nos telejornais passam reportagens com dirigentes russos a dizer que as sanções do ocidente são declarações de guerra: fácil acabar com essas sanções basta acabar com a guerra. Até porque já ninguém aguenta nem mais guerra nem mais sanções!

Sangue Vivo

O lençol que está coberto de sangue vivo,

Não esconde só um corpo morto!

Esconde um humano, 

Um abraço,

um sorriso,

um colo,

um pedaço de humanidade.

O sangue vivo 

É a cor da morte,

Da dor e insanidade. 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub