Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

Quinta à noite

Quando a vida dá uma volta das grandes. Desabafos. Ilusões e desilusões. Mudanças. Novos rumos. Vitórias

O que devemos aprender com as crianças

As crianças não têm amigos com Asperger

Este texto fez-me reviver 5 anos...

Eu tinha 16 anos quando a "minha menina" nasceu. Filha de um casal muito amigo. 

Sem se saber, nem duvidar em momento algum (até ao ano de vida), ela era portadora de uma doença rara: síndrome de Marfan. Entre outras coisas ela tinha problemas cardíacos, oftalmológicos e motores (entre outros, resultado de maus diagnósticos e ma medicação.)

As diferenças e dificuldades eram bem visíveis.

No entanto, era uma menina muito alegre, que lidava bem com a doença, optimista e muito persistente! Acredito que foi assim que venceu todos as expectativas: não iria andar, não iria viver mais de 2 anos!

Ela andava, brincava e era extremamente feliz. Amava viver como pouca gente!

Ela ia a festas, feiras, concertos e  andou de comboio. Adorava ir ao shoping!

Ela gostava de brincar com os outros meninos, mas por várias vezes, os pais das outras crianças retiravam os filhos deperto dela e probiam-nos de brincar com ela! Por várias vezes nos disseram que shopings, parques e concertos não eram lugar para ela. 

Foram inúmeras as vezes que ouvimos o "coitadinha" ou "o pais não tem juízo para trazer uma criança assim para a rua". 

Também vivemos o oposto, pessoas boas que se deixavam conquistar pelo seu sorriso, que incentivam os filhos a brincar e interagir com ela. Que explicavam que ela estava doente, que tinham de brincar com cuidado... 

Hoje, na turma do J.M. ha 2 meninos com problemas, e outro menino com paralisia noutra turma. O meu filho ve-os com normalidade. Sabe que eles são diferentes, brincam de forma diferente, mas isso não é um problema. Sei de pais  (na mesma escola) que se incomodam com a presença daquelas crianças, como se os seus filhos estivessem em perigo...

Irrita-me  (ao ponto de pensar em furar peneus) que os pais estacionem no lugar para deficientes, quando sabem que há uma mãe com um filho que não anda... Irrita-me pelo mau exemplo, pela falta de respeito... 

Eu acredito que a interacção das crianças "normais" e "diferentes" é importante para ambos. É importante para a sociedade. Acredito que só assim, se cria uma sociedade mais justa e mais inclusiva!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D